top of page
  • CyberX

Blockchain: Riscos e Benefícios

O Blockchain é uma tecnologia que surgiu em 2008 e permite a criação de um registro compartilhado e seguro para dados e transações. Torna-se possível a realização destas transações sem a necessidade de intermediários, como bancos e cartórios.


A tecnologia considerada um avanço tecnológico, oferece a capacidade de armazenar, gerenciar e compartilhar informações de forma segura e transparente, tornando-o ideal para uma ampla variedade de aplicações.


Desde a gestão da cadeia de suprimentos até a votação eletrônica, o blockchain auxilia na integridade e autenticidade das transações e dados feitos. Ainda detém do potencial para revolucionar a maneira como as empresas e indivíduos conduzem os negócios.


Alguns Elementos


A blockchain é composta de diversos elementos que trabalham em conjunto para garantir a integridade e segurança das informações registradas na rede, tornando-a uma tecnologia promissora para uma variedade de aplicações. Abaixo, temos os seguintes elementos:

Fonte: Wei Cai, Zehua Wang, et. al.
  1. Blocos: Cada bloco é um registro de transações que ocorreram na rede e neles contém um registro recente dessas transações, um código hash que identifica o bloco e também o outro código hash, mas esse referente ao bloco anterior.

  2. Rede descentralizada: A blockchain é uma rede descentralizada, o que significa que não há uma autoridade central que controle a rede. Em vez disso, ela é mantida por seus usuários.

  3. Consenso: É o processo pelo qual os participantes da rede chegam a um acordo sobre a validade das transações. Geralmente é feito através de um algoritmo de consenso, como o Proof of Work ou o Proof of Stake.

  4. Smart contracts: São programas que executam automaticamente as condições pré-definidas quando certas ações são realizadas na rede.

  5. Cadeia de blocos: Sequência de blocos conectados uns aos outros. Formada pelos blocos que contém o código hash do bloco anterior, criando assim uma ligação entre todos os blocos.

  6. Tokens: Ativos digitais emitidos na blockchain que podem ser negociados e transferidos entre os usuários. Alguns exemplos incluem criptomoedas como Bitcoin e Ethereum, bem como tokens de utilidade e segurança emitidos por empresas ou projetos específicos.

  7. Criptografia: A blockchain utiliza a criptografia para proteger as informações registradas na rede. Inclui a criptografia de chave pública e privada, assim como algoritmos de hash criptográficos.


Tipos de Redes


No blockchain, há tipos diferentes de redes, cada uma com suas características e finalidades. Desde redes públicas acessíveis a todos, até redes privadas restritas a um grupo específico de usuários, a escolha da rede de blockchain adequada dependerá das necessidades e objetivos da aplicação em questão.


Existem vários tipos de redes de blockchain, cada uma com características distintas. Aqui estão alguns dos principais tipos:

  • Blockchain Pública: Também conhecida como blockchain aberta, essa rede é acessível a qualquer pessoa e permite que qualquer pessoa participe da validação de transações. Exemplos incluem Bitcoin e Ethereum.

  • Blockchain Híbrida: Rede que é uma combinação de blockchain público e privado. Algumas partes dela são abertas para todos, enquanto outras são restritas a usuários autorizados.

  • Blockchain Federada: Versão de rede mais avançada da blockchain de consórcio. Os participantes têm mais controle sobre as regras da rede e geralmente possuem um papel mais ativo na governança da rede.

  • Blockchain Privada: Rede restrita a um grupo específico de usuários ou organizações. Geralmente, são usadas para fins empresariais e permitem maior controle sobre quem pode acessar e validar transações.

  • Blockchain de Consórcio: Nessa rede, várias organizações trabalham juntas para manter o blockchain. Os membros geralmente têm interesses comuns, como a criação de uma plataforma de comércio eletrônico compartilhada.

  • Blockchain Multichain: Rede composta por várias blockchains independentes que se comunicam entre si. Cada blockchain pode ter suas próprias regras e recursos, mas a interação entre as blockchains pode permitir uma maior eficiência e escalabilidade.

Quando uma transação é feita na blockchain, é validada por uma rede descentralizada de computadores, conhecida como “nós” ou “nodes”, que juntos trabalham na confirmação e registro em um bloco. Esses “nós” usam algoritmos matemáticos complexos para verificar se a transação é legítima e se o remetente tem fundos suficientes para realizá-la.


Uma vez validada, a transação é adicionada a um bloco junto com outras recentes. Esse bloco é então acrescido à cadeia de blocos, formando uma sequência imutável que engloba todas as transações realizadas na blockchain.


Ela inclui informações como o remetente, o destinatário, a quantidade de criptomoeda ou ativo digital envolvido e uma taxa de transação. Essa taxa é uma pequena quantidade de criptomoeda paga pelo remetente para incentivar os “nós” da rede a processar a transação o mais rápido possível.


Assim que a transação é registrada na blockchain, ela se torna pública e pode ser vista por qualquer pessoa na rede. Contudo, a identidade do remetente e do destinatário são protegidas por chaves criptográficas e não são reveladas publicamente.


Benefícios


Todavia, como em qualquer tecnologia, há riscos e benefícios associados ao blockchain. Entre os principais estão:

  1. Segurança: O blockchain é imutável e as transações registradas em blocos são ligados uns aos outros por meio da criptografia, tornando quase impossível a alteração ou exclusão.

  2. Transparência: Todas as transações efetuadas na rede do blockchain são públicas e passíveis de verificação por qualquer pessoa, o que torna a rede mais verdadeira.

  3. Redução de custos: Com o uso do blockchain, é possível diminuir os custos de transação, já que não é preciso pagar por intermediários e o registro das transações é gerado de forma automática.

  4. Descentralização: O blockchain é uma rede descentralizada, o que significa que não existe um único ponto de falha e a informação é distribuída entre os participantes da rede.

  5. Eficiência: As transações em blockchain são feitas de forma rápida e segura, sem a necessidade de intermediários.

  6. Aplicabilidade em diversas áreas: O blockchain pode ser aplicado em várias áreas como finanças, saúde, logística, e outras, permitindo maior segurança, eficiência e transparência nas transações.

  7. Privacidade: Mesmo que as transações sejam públicas, a identidade dos participantes pode ser mantida em anônimo através do uso das chaves criptográficas.

Riscos

  1. Regulamentação: A tecnologia blockchain é relativamente nova e muitas jurisdições ainda não estabeleceram leis e regulamentações concisas em relação a ela, o que pode tornar difícil para empresas trabalharem com o blockchain.

  2. Possível falta de privacidade: Apesar da tecnologia blockchain ser altamente transparente, ela também é visível, o que é problema para indivíduos e empresas que desejam manter suas informações privadas.

  3. Escalabilidade: Atualmente, a tecnologia blockchain tem dificuldade em lidar com um grande número de transações, o que limita a capacidade de tornar uma tecnologia mainstream.

  4. Falta de padronização: Existem tipos diferentes de blockchains, cada um com suas próprias limitações e características. Isso dificulta as empresas a escolherem a plataforma certa para as suas necessidades.

  5. Custos: A mineração de criptomoedas é um processo intensivo em termos de recursos, o que torna o processo caro para as empresas e indivíduos que desejam se envolver.

É importante lembrar que esta tecnologia está em constante evolução e novas aplicações, benefícios e riscos surgirão futuramente.


Em resumo, a tecnologia blockchain é uma inovação promissora com o potencial de transformar muitos setores. Ao oferecer uma forma segura e transparente de armazenar e transferir informações, ela aprimora a eficiência e a confiabilidade de muitos processos. No entanto, é importante saber que a tecnologia ainda está em desenvolvimento e existem riscos a serem considerados, como a falta de regulamentação e a possibilidade de ataques cibernéticos. As empresas devem avaliar cuidadosamente os prós e contras antes de adotar a tecnologia blockchain.

117 visualizações

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page