top of page
  • CyberX

Por que você deve rotacionar seu fornecedor de cibersegurança

Na era digital de hoje, as ameaças à cibersegurança estão a evoluir a um ritmo sem precedentes. Para as empresas que se esforçam para se manter à frente destas ameaças, a abordagem à segurança cibernética não pode ser estática. Uma das estratégias mais eficazes que as empresas podem adotar é a rotação dos seus fornecedores de segurança cibernética, especialmente quando se trata de testes de intrusão (pentesting). Esta abordagem dinâmica pode reforçar significativamente as defesas de uma empresa e garantir posturas de segurança robustas. Vamos nos aprofundar em por que essa prática é crucial e como ela beneficia as organizações.


O cenário em constante mudança das ameaças cibernéticas

As ameaças cibernéticas não estão estagnadas; eles estão em constante evolução. Os hackers estão se tornando mais sofisticados, empregando novas táticas, técnicas e procedimentos (TTPs) que podem contornar as medidas de segurança tradicionais. De acordo com o Fórum Económico Mundial, os ataques cibernéticos aumentaram 67% desde o início da pandemia da COVID-19, destacando a necessidade urgente de medidas de segurança adaptativas.


As armadilhas da familiaridade

Quando as empresas permanecem demasiado tempo com um único fornecedor de segurança cibernética, correm o risco de cair numa zona de conforto. A familiaridade pode gerar complacência, tanto para o fornecedor quanto para o cliente. Isto pode levar à falta de novas perspetivas sobre potenciais vulnerabilidades e lacunas de segurança. À medida que o cenário da segurança cibernética evolui, um único fornecedor pode não conseguir acompanhar todos os novos vetores de ameaças. Isto é particularmente verdadeiro em pentesting, onde o objetivo é descobrir vulnerabilidades antes que atores mal-intencionados o façam.



Os benefícios da rotação de fornecedores

  1. Novas perspectivas e técnicas inovadoras: A rotação de fornecedores de segurança cibernética traz novos olhos e metodologias de teste inovadoras. Diferentes empresas podem se especializar em vários aspectos de segurança e usar abordagens exclusivas para identificar vulnerabilidades. Esta diversidade pode levar a avaliações de segurança mais abrangentes. Como sugere o Gartner, a diversidade nas equipas de testes de segurança pode revelar diferentes tipos de vulnerabilidades, proporcionando uma estratégia de defesa mais completa.

  2. Mitigação de pontos cegos: toda empresa de segurança cibernética tem seus pontos fortes e fracos. Ao rotacionar fornecedores, as empresas podem cobrir uma gama mais ampla de potenciais vulnerabilidades. Uma empresa pode se destacar em segurança de rede, enquanto outra se especializa em segurança de aplicativos. Esta abordagem holística garante que nenhuma área seja negligenciada, uma vez que diferentes empresas podem identificar diferentes questões.

  3. Responsabilidade aprimorada: Mudar regularmente de fornecedor pode evitar a complacência. Mantém os fornecedores atentos, sabendo que seu trabalho será revisado e potencialmente acompanhado por outra empresa. Esta avaliação contínua garante elevados padrões e responsabilidade. A Harvard Business Review observa que essa prática pode levar a um melhor desempenho e inovação, à medida que os fornecedores se esforçam para manter seus contratos.


Estudo de caso: O poder da rotação

Considere uma instituição financeira global que decidiu fazer um rodízio anual de seus fornecedores de pentesting. No primeiro ano, o fornecedor inicial identificou diversas vulnerabilidades críticas. No segundo ano, um novo fornecedor descobriu problemas adicionais que o primeiro não tinha percebido, incluindo novos vetores de ataque que surgiram nos meses seguintes. No terceiro ano, outro fornecedor introduziu técnicas avançadas de testes, fortalecendo ainda mais as defesas da instituição. Esta rotação não só revelou mais vulnerabilidades, mas também garantiu que as medidas de segurança cibernética da instituição permanecessem inovadoras.


Implementando uma estratégia de rotação

Para implementar eficazmente uma estratégia de rotação, as empresas devem:

  • Planeie intervalos regulares: estabeleça um cronograma de rotação de fornecedores, seja anual, semestral ou em outro intervalo que atenda às necessidades da empresa.

  • Avalie o desempenho: após cada rotação, avalie o desempenho e as descobertas dos fornecedores para entender seus pontos fortes e fracos.

  • Promova a colaboração: incentive a transferência de conhecimento entre fornecedores que entram e saem para garantir uma transição perfeita e melhoria contínua na postura de segurança.

  • Mantenha-se informado: acompanhe as tendências do setor e as ameaças emergentes para selecionar fornecedores que estão na vanguarda das inovações em segurança cibernética.


A rotação de fornecedores de segurança cibernética, especialmente para testes de invasão, não é apenas uma prática recomendada; é um imperativo estratégico no cenário de ameaças atual. Traz novas perspetivas, mitiga pontos cegos, aumenta a responsabilização e garante que as defesas de uma empresa estão sempre a adaptar-se a novas ameaças. Ao adotar esta abordagem dinâmica, as empresas podem aumentar significativamente a sua resiliência em matéria de cibersegurança e proteger os seus ativos mais valiosos.


Ao adotar uma estratégia de rotação de fornecedores de segurança cibernética, as empresas podem fortalecer as suas defesas e ficar à frente dos atores maliciosos. Abrace a mudança e faça da segurança cibernética uma postura proativa e em constante evolução.


Fontes:

  1. World Economic Forum. (2023). Cybersecurity in the post-pandemic world.

  2. Gartner. (2022). The Importance of Diversity in Cybersecurity.

  3. Harvard Business Review. (2021). Supplier Accountability in Cybersecurity.


Você sabia que precisa fazer um rodízio de seu parceiro de segurança cibernética? Comente abaixo!

1 visualização

Comments


Commenting has been turned off.
bottom of page